Do Verbo Se Fez Arte

A exposição "Do verbo se fez Arte" conta com obras em que o artista Dener de Sousa faz uma homenagem a escritores, poetas e compositores que por meio de suas obras o influenciaram no decorrer da sua formação como ser humano. A mostra contém obras em que o artista usa suporte páginas de livros e encartes de discos dos personagens que são retratados na exposição. Além de fazer uma junção entre as artes visuais e a literatura, todas as obras farão uma interação com as mídias digitais através de um "QR CODE", em que o espectador poderá, com seu smartphone, tablet ou outro dispositivo digital, fazer uma conexão com uma página na internet que possui conteúdo extra sobre o personagem retratado na exposição.​​​​​​​

Cartola

Angenor de Oliveira, mais conhecido como Cartola, foi um cantor, compositor, poeta e violonista brasileiro. 

Escritores, Poetas e Compositores

Machado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assis foi um escritor brasileiro, considerado por muitos críticos, estudiosos, escritores e leitores um dos maiores senão o maior nome da literatura do Brasil.

Cecília Benevides de Carvalho Meireles, foi uma jornalista, pintora, poetisa e professora brasileira.

Cecília Meireles

Cruz e Sousa

João da Cruz e Sousa foi um poeta brasileiro. Com a alcunha de Dante Negro ou Cisne Negro, foi um dos precursores do simbolismo no Brasil.

   A primeira mostra individual de Dener de Sousa nos brinda com a união entre literatura, música e artes plásticas. Do Verbo Se Fez Arte, nos leva a refletir sobre o quanto o que lemos nos influencia, transformando quem somos.
   Quando mergulhamos nas páginas de um livro, passamos a dividir nossos dias com alguém que também aceitou dividir seus pensamentos e sentimentos. Nos aproxima, criando cumplicidade entre a obra escrita e o nosso cotidiano. Dessa relação surgem inquietações, questionamentos, anseios e desejos, que trazem novas visões, novas formas de olhar, ressignificando o que sempre esteve ali.
​​​​​​​   Nesta exposição, encontramos escritores retratados de uma forma que vai além da pintura. A decisão de utilizar parte de seus escritos como fundo para o retrato, dialoga com a aparência dos escritores, reforçando a ideia de que somos aquilo que escrevemos, que toda produção literária transforma, modela e altera aquilo que somos.
​​​​​​​   Parte significativa desses escritores são negros, mostrando raízes negadas através dos tempos, um branqueamento fundamentado na mentira de que apenas brancos fossem capazes de ter uma produção literária. É mostrar a poesia através das palavras de pessoas sempre forçadas ao silêncio. Mostrar esses escritores é mostrar aos nossos jovens que todos tem o poder e o direito à expressão.
   E cada pessoa consegue expressar-se de diferentes formas, música, poesia, prosa. Dener de Sousa resolveu expressar-se usando tudo isso e mais, através de sua pintura, uniu linguagens, traduzindo uma Babel,dividindo conosco textos e escritores que lhe são caros, que lhe acompanham e influenciam, que traduzem em palavras suas inquietações, nos trás rostos misturados às palavras, e nos remete à essência do existir, nos remete ao Verbo.
   Ver, representados nessas obras estes escritores emociona, mas também acalenta, nos aproxima daqueles que partiram, mas que se eternizaram através das palavras, através do Verbo que, com tanta maestria, Dener de Sousa transformou em Arte. 


Cecília Camargo 
Curadora

Darcy Ribeiro foi um antropólogo, escritor e político brasileiro, conhecido por seu foco em relação aos índios e à educação no país. 

Darcy Ribeiro

Edson Bueno de Camargo vivia em estado poético. Enxergava poesia em todos os cantos por onde passava, tinha facilidade para traduzir a vida em versos.

Edson Bueno

Augusto dos Anjos

Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos foi um poeta brasileiro, identificado muitas vezes como simbolista ou parnasiano.

Realização

Apoio